Olá Lisboa! Tchau Lisboa!

Subi no Elétrico 28 para a minha primeira aventura na Europa. Ele passa por diversos lugares bonitos e enquanto eu fazia esse mini passeio três coisas se passavam na minha cabeça:

  1. Não acredito que to na Europa.
  2. To morrendo de fome e sede.
  3. Huh. Isso não é tão diferente do Brasil. Hm… Como o Brasil tem potencial!

 

Isso mesmo. Achei muita coisa parecida. Tudo bem, fomos colonizados por eles, é natural que tenhamos semelhanças. Mas isso me mostrou que teríamos tanto potencial para ser maravilhosos também… Ruas limpas, bem cuidadas, principalmente os pontos turísticos. Não estou dizendo que era perfeita. Pude ver pichações também, mas não nos lugares bonitos da cidade. Não por toda cidade. Estava imensamente feliz, mas também um pouco triste por nós, brasileiros.

Não vou poder citar o nome dos lugares que vi com o bondinho porque ele não tem guia nem nada. Mas não me importei de não saber, era ótimo simplesmente estar vendo lugares lindos! No fim da linha tinha uma “barraquinha” que vendia água e comida. Estava faminta e com sede. Maas não gostei da aparência de nada que tinha lá para comer, então peguei só uma água (1€) e peguei o bondinho de volta. O bondinho vai relativamente rápido e acho que mesmo se ele não passasse pela parte mais antiga de Lisboa ainda assim valeria a pena dar uma volta just for the hell of it.

Resolvi descer em outro lugar ao que subi pra explorar eee claro que depois nem com o mapa me achei mais. Mas todo mundo falava português, então tranquilo (hahahah). Logo me achei e resolvi voltar com o mesmo ônibus que tinha vindo mesmo por questões de saber o caminho e onde teria que descer, etc. Na verdade, eu tinha planos de visitar outros lugares em Lisboa, mas meu pai me deixou tãão atucanada que acabei voltando pro aeroporto 1 hora mais cedo do que planejava (se sua conexão é de 7h dá tempo de pegar um bondinho, se perder, se achar e fazer mais alguma coisa e só então voltar pro aeroporto, fica a dica haha). No ônibus descobri que aquele bilhete de 3,50€ que comprei na ida também valia para volta (desde que seja no mesmo dia, então de novo: fica a dica). No ônibus só eu e um bando de alemães (que assumi que estavam indo pro aeroporto pro mesmo voo que eu)

No aeroporto, com tempo ainda de sobra resolvi finalmente comer algo, apesar dos preços. Procurei, olhei e vi algo amarelhinho que me lembrava uma empada, mas ainda assim diferente e estava escrito na legenda “QUEIJADINHA”. Oba! Amo queijo! Vai ser isso mesmo! Assim que peguei a dita cuja na mão já achei estranho estar gelada. Não gelada temperatura ambiente, mas gelada tipo saiu da geladeira. Dei uma mordida desconfiada…. WTF!? ERA DOCE! Ok, então queijadinha em portugal é doce…??? Mas queijo é salgado!! O QUE VOCÊS FIZERAM COM MEU QUEIJO, PORTUGAS?? Enfim, comi igual porque estava faminta. E não é ruim, só realmente queria algo salgado e quente naquele momento e fiquei muito decepcionada.

Mais umas duas horas de espera no aeroporto, que não foram de todo ruins porque pude carregar meu telefone e com o wi-fi do aeroporto bater um papinho com familiares e amigos e dizer que estava tudo bem (e ouvir ler um UFA! do pai por ter voltado mais cedo pro aeroporto).

Subi no avião, então para meu destino final: Alemanha, Berlin, maninha querida!

 

P.S.: melhor voo foi POA-SP não por ser o que durou menos, mas o avião era melhor mesmo. Tipo, esse Lisboa-Berlin o voo durava menos e nem TV tinha… POA-SP tinha. Estamos na frente quando assunto é conforto no voo galera! Pelo menos se forem de Azul, que nem eu fui. Batata deles é tri boa! hahaha