AU PAIR – PARTE 2: A PROCURA DA GAST FAMILIE – PARTE 3: MANTENDO OS CONTATOS

Depois daquela primeira resposta positiva da família ou mesmo se a família que entrou primeiro em contato comigo, eles vem e te fazem algumas perguntas. Dentre as mais frequentes:

 

“Porque tu quer ser Au Pair?”

“Que papel quer desempenhar na família?” (nesse caso sempre respondia que queria ser como uma irmã mais velha para as crianças)

“Nas horas livres vai preferir fazer tuas próprias coisas ou passar mais tempo conosco?” (falava que um pouco dos dois, que dependeria do dia, o que é verdade. Como já disse em outro post, gosto de ficar sozinha às vezes. Mas o convívio com a família também é bom, especialmente pra ouvir e aprender mais a língua.)

“Está disposta a fazer pequenos trabalhos na casa, como passar aspirador?”

“Que tipo de brincadeiras tu gosta de fazer com as crianças?”

“Se tem um dia ensolarado, o que tu vai fazer pra distrair as crianças? E em dia de chuva?”

 

Enfim, dependendo da família poderia ter outras perguntas e, eles sempre perguntavam se eu tinha alguma pergunta de volta. Sugiro que sempre pensem em algo. Se no perfil não tiver a rotina do dia a dia na família, sugiro que seja essa a pergunta, por exemplo. E aí, dependendo de como as coisas andarem, vão pedir pra falar contigo por skype (onde, então entra o problema do fuso horário… – o que pra mim era gigante por causa do meu estágio… e sempre ia direto do lab do estágio, pro lab do TCC e quando estava de volta em casa já era madrugada pra eles. Então marquei alguns nos FDS, outros pedia pra sair mais cedo do estágio – e como as meninas eram maravilhosas e acompanharam toda minha procura por famílias, sempre entendiam e deixavam eu sair um pouco mais cedo.).

Depois de marcada a hora por Skype (por isso é bom ter uma conta), esperem para ver. Geralmente os alemães são muito pontuais, então vejam como é no país que estão tentando. Pelo fato dos alemães serem pontuais, se eles não entrassem em contato até o horário estipulado, eu acabaria ligando uns 15 minutos depois.

Minha primeira conversa no skype não foi das melhores porque tava na casa da minha vó e dinda e por isso, mais uma sugestão: tentem estar sozinhos ou pedir privacidade em casa, porque nenhuma das famílias que conversei e algum parente se meteu no meio me pediram pra ser Au Pair deles mais tarde. A primeira família que eu falei, eu que liguei, a Gastmutter foi supersimpática, disse que eu parecia mais alemã que ela, mas eu estava realmente nervosa, sendo a primeira família e tudo mais. E minha priminha meio que falava no meio da conversa. E depois minha vó apareceu e tentou falar alemão com a Gastmutter (que entendeu minha vó, mas minha vó não entendeu ela aahhaha alemão do interior…). Acho que talvez isso passou pra eles que eu ia ficar muito “homesick”. Também pode ter sido outro motivo, mas no dia seguinte a esse contato, recebi uma mensagem dizendo “Sinto muito, mas tu não é a Au Pair certa pra nós, mas temos certeza que vai encontrar uma ótima Gastfamilie! Boa sorte!”

Depois disso tive mais uma série de contatos por skype, mas com as 3 famílias que me escolheram, conversei mais que uma vez por skype. Mas sobre essas conversas e como escolhi entre as 3, conto mais tarde.